sábado, 17 de outubro de 2009

Sorte de criança..

Ontem eu tinha um poema em minhas mãos
não escrevi e o perdi.
Ouvia notícias sobre uma criança de sorte.
Acho que toda criança tem sorte,
pelo menos deveria ter.
Porque lembro uma frase, não sei quem disse
e nem importa. Essa pessoa tentava justificar
as penas leves para menores infratores.
E disse:

"O tempo para um jovem de 14 anos não tem a mesma dimensão
que tem para um adulto. Se esse jovem for condenado para
ficar três meses numa instituição, ele sentirá como se
fossem três anos".

Fiquei imaginando o que deveria significar então
20 minutos para um menino de 8 anos, nas mãos de
um bandido. Um bandido de 14 anos, mas já bandido.

Realmente o tempo para quem sofre uma agressão é
muito diferente do que para quem agride..
Não consigo quantificar ou qualificar esses 20
minutos de terror. Assim só imagino. Tento imaginar
ainda os outros 20 anos para esse menino... e os
outros vinte, os outros e os outros.

Era um poema que tinha em minhas mãos.
Não escrevi....nem poderia.
Penso numa criança de sorte..

6 comentários:

Simone Aver disse...

Também acho que toda criança deveria ter sorte... infelizmente, 'achar' não é o suficiente, pq há milhares de crianças SEM sorte... e eu fico arrasada de pensar nisso... qualquer poema é esquecido ou deixado de lado, quando se pensa nas milhares de crianças SEM sorte ou SEM oportunidades, ou SEM amor, que a gente conhece, e as que a gente desconhece, e as que a gente jamais vai conhecer ou ouvir falar de...As crianças deveriam ser imunes às dores e às violências todas. Mas não são. E essa é uma dor que nós vamos carregar todos os dias de nossas vidas... se não por sermos nós os agressores, será por não termos forças bastantes pra impedir que aconteça... talvez possamos com uma ou outra, e isso já seria um grande feito... mas... e todas as outras?

Cynthia Lopes disse...

Seus poemas estão cada vez mais densos e cinematográficos. É fiquei imaginando toda a cena. Lindos versos e, fomos crianças de sorte. Bjs

Sonhadora disse...

Ricardo
Belo, depois deste ...quem pensa em si próprio,Tudo o resto não interessa,quando se fala de crianças.
Beijos

Ricardo Kersting disse...

Simone, há coisas que eu gostaria de esquecer e não consigo..Mas tens razão, as crianças precisam de muito mais que sorte...

Ricardo Kersting disse...

Desta vez o poema ficou esquecido, Cynthia. Mas até tentei rsrs.
Beijo..

Ricardo Kersting disse...

É verdade, Rosa. Mas confesso que no fundo sempre acabo pensando em mim.. Sou um egoísta convícto..
Beijos.