domingo, 11 de outubro de 2009

Silêncio no Atelier





A sombra buscou refúgio
em meio às massas dobradas
pedras, marretadas...restos
de tudo que não fiz.
Paixões despejadas como
resinas... lânguidas espalham
odor de tédio...remédio
para dores das quais
nunca me refiz.
Entre tantas vozes passadas
presente? Só o silêncio
ouvindo as preces veladas
palavras toscas mal dadas
entre muitas que a vida pariu.
Feito velas arriadas
que se desfizeram ao relento,
sobre um barco perdido que
apesar do vento,
sem destino... não partiu.

6 comentários:

Cynthia Lopes disse...

O teu silêncio pesou-me,
o silêncio calou-me,
silêncio,
sons e imagens
imagino,
como vens vindo
de um jeito
ou de outro,
ao meu encontro.

Cynthia

Sonhadora disse...

Ricardo.
Cada vez mais as tuas palavras são as minhas.
Silêncios, solidão,vida bem ou mal vivida.
Lindo

Bjs

Ricardo Kersting disse...

É verdade Cynthia, procuro me acercar de ti e todas pessoas que eu gosto e gostam de mim...Fico feliz de saber que percebes a minha intenção.
Beijo..

Ricardo Kersting disse...

Sonhadora, então pensamos em coisas parecidas. É o que venho dizendo em meus comentários para ti.. Só que são formas diferentes de ver... Eu não tenho a solidão e a tristeza como coisas impostas a mim pela vida, mas as vejo como companheiras e parte daquilo que busco que é a felicidade...Vejo-as como degraus de uma longa escada que ainda tenho para subir...
Beijos...

Sonhadora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sonhadora disse...

Ricardo
Lês e intrepretas os meu sentimentos, não digo mais nada.
Bjs