segunda-feira, 2 de maio de 2016

Desejo..

Nem sempre é legítimo
passa desmedido
despercebido
às vezes incontido.
Que me faz ofegante
exigente e até envolvente
é o meu desejo.
Se liberta no escuro
quando não está invisível
tanto faz se é cativo
se me faz ativo
é contra sentido
mas é sempre esquecido
não tem um nome
nem tampouco objetivo
sem preconceito
qualidades? só defeito
é sincero
quando mente
nunca é decente
inventa um clima
dá um jeito
passa por cima
mas é meu... o desejo..

É meu e eu aceito
por isso que aguardo
lá no fundo
em meu peito
um louco desejo
assim
desse jeito
é meu por direito...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Poema Interrompido

Uma frase  não escrita
hoje
amanhã estará perdida
entre cantos inauditos
um alaúde sem cordas
um livro jamais lido
um beijo que não foi dado
um desejo não sentido..

Escreverei
minhas frases
para que os beijos
não se percam
para que a luz
não se detenha
para que um sonho
não se desfaça
num poema
interrompido.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Desabafo (não é um poema)

Às vezes gostaria de ser um alienado total só pensar em mim... Deveria, afinal os artistas não são assim? Não! Não consigo!
Quero resolver os problemas dos pequenos municípios que enchem camionetas de pessoas para consultar em Porto Alegre!! Quero resolver as mazelas do Rio Grande, do Brasil e quem sabe do mundo!!! Que merda!!! Que meeerrrdaaaaa!!!

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Sorriso




É uma pausa
uma trégua,
maneira de dizer: Calma!
Alvura não importa
inteiro,
matreiro,
com folgas?
Não, não importa.

Se vem d'alma
a gente percebe
Mostra CPF e identidade..
Tanto melhor se for mui antigo
importa se é amigo
o resto,
é publicidade..

Sorriso,
quer dizer: Espera!
nem tudo está perdido...
Espera  amigo
que
já vou ....aí..


Sorria..!

terça-feira, 24 de março de 2015

Justos Nus


Nada é tão vasto
como inda agora que fui pequeno
pouco foi um bálsamo
onde restava ódio e veneno
pessoas vãs rasas distam
nas ruas vazias
prelos soltos ao vento
registram a covardia
é mais fácil ser fugidio, sub-humano, arredio
a ultrajar os justos
por serem poucos
e estarem
nus