domingo, 25 de outubro de 2009

Agora eu sei.

Quando não aceitamos o que a vida nos dá
é o mesmo que nos revoltarmos quando ela nos tira.
Perdemos muito mais do que pequenas coisas.
Não importa qual valor se deu à elas...
Aceitar até uma doença é o princípio básico
para a cura. A prostração e autopiedade resumem
nossas possibilidades..

Vinha vida foi sacudida, mais um desafio
que aceito e sou grato.
Grato à vida e às energias benéficas.

Agora eu sei que sou importante para milhares de
seres, agora eu sei a razão de tantas coisas...idas.
Agora vislumbro o tanto que fiz e tudo que ainda farei,
seja nesta e em outras jornadas...

A Vida me chama...
Agora eu sei.

Que nada fiz só por querer
que todos fomos feitos
do mesmo giz
da mesma luz.
Pelo mesmo SIM.
Que a energia que move as esferas
é a mesma que alimenta nosso sentir,
nosso viver.

4 comentários:

Cynthia Lopes disse...

Lindos estes versos de amor e doçura por ti mesmo guri, e pela vida. Este poema está cheio de energia e coragem e sabedoria. Eu sou daquelas pessoas que acredita que somente um caminho de vida e de espírito nos faz transcender todas as adversidades e nos abra uma série de perspectivas novas. Um grande e longo e forte abraço em ti, t'a
Cynthia

Ricardo Kersting disse...

Cynthia, muito obrigado e também um longo e forte abraço..Creio que sei bem onde estou e onde quero ir...Penso que agora estou preparado...para a minha verdadeira jornada.
Beijos e uma boa semana..

Sonhadora disse...

Ricardo
Lindo o teu poema.
É muito bom aceitarmos, mas tu não és de aceitar o que a vida te dá és de ir à luta.
Aceita o desafio da vida e SENTE-A
beijos

Ricardo Kersting disse...

É verdade Sonhadora... Às vezes eu digo e grito aos quatro ventos que sou um rebelde, mas na verdade sempre acabo aceitando o que a vida me reserva... Agora mais do que sempre..
Beijos