sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Menestrel.



Se algum dia um canto
como encanto pulsante
num breve instante
te calar.
Saibas que não teve jeito
com o alaúde junto ao peito
como insano bardo, feito
sozinho me pus a cantar.

E se por ventura esse trilar
santo aplacar tua dor
saibas que foi por amor
jamais por outro motivo.
Que a arte me tem cativo
sem ouro ou prata, mas vivo
seja do jeito que for
para esse canto entoar.

2 comentários:

Cynthia Lopes disse...

Saiba que por momentos,
instantes, meu coração
fez silêncio, frente ao teu cantar.
Entretanto eu compreendo
que como menestrel do tempo,
tu tenhas mesmo que continuar.
bjs

Sonhadora disse...

Ricardo

Poema lindo..lindo
Acabaram-se as palavras

Bjs