terça-feira, 17 de março de 2009

Cuidado


Cuidado
com teu medo
ele pode te entregar
ao caminhar pela rua
"uma rua qualquer"
eu posso me aproximar
e te dizer baixinho
"quero te gostar".


Alguém pode estar vendo
esse teu medo de voar
ou talvez se divertindo
com teu medo de sonhar.
Cuidado, olha lá!
Não há tempo de correr
nem sempre dá para saber
se é um farol
ou é o luar
ou meu olhar.

Cuidado
ao fazer a cama
pisar na grama
e cair na calçada!
Da fama.

As marocas podem contar
não perde o rumo
da madrugada
em que passas acordada
só para me ver aqui
cuidado, presta atenção
eu ainda sou guri.

Cuidado, mulher
é de noite
e esse cabelo vermelho molhado?
Há uma ponte
e um cão alado
um velho espia
pinhas e um vigia
caminhão sem freios
cavalo sem arreios
trem descarrilado
um gato encurralado
um policial aposentado
leão atropelado
panquecas com melado
tudo pode fazer mal
por favor
muito cuidado
um descuido é fatal.

Pode ser o fim.
Cuida
comigo
contigo
conjuro
contudo, de mim.

Cuidado.






2 comentários:

Simone Aver disse...

Becos sem saída e labirintos, inspiram cuidados. CUIDADO! Nos primeiros, pode-se desejar permanecer. Nos segundos, pode-se não encontrar o caminho de volta. CUIDADO! Muito mais cuidado se no fundo do beco ou numa curva do labirinto, encontrares uma flor... CUIDADOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!

Cynthia Lopes disse...

Pssssssssiu..., é preciso ter cuidado com a gente mesmo e com o outro, sempre.