domingo, 24 de janeiro de 2010

Te procurei no fim.


Te procurei pela cidade, sequer sei teu nome.
Te esperei..em vão e gritei
ninguém ouviu
nenhuma sombra, de dúvida.
Enquanto chovia palavras em verborragia
eras meu inverso...inverno meu avesso
enquanto te achava, chamava tu sorrias
eu cantava inúteis canções
sobre um tempo que nunca vivemos

Estavas colando cartazes pelas ruas de Poa
era num brick, num linck
coisas assim....numa praça.
Eu sem graça. E tu engraçada
em meio à multidão
frente ao portão
da filosofia...certo que um dia
lembrarias de mim.

Este foi o fim..

2 comentários:

Sonhadora disse...

Ricardo
Quase de certeza, teu poema é inspirado num amor de juventude.
Gostei muito.

Beijinhos
Sonhadora

Cynthia Lopes disse...

Por certo Ricardo, este foi o fim.
bjs