segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O Surrealismo verbal de Simone Aver.

Eu gostaria de ter um armário
cheio de cruzes e faixas com
cicatrizes. Também queria um
riso extinto em minha boca
surda..

Queria ser essa pessoa descrita
em teu poema.... Surreal seria.

3 comentários:

gargula disse...

Obrigada, amigo. És sempre muito gentil. Aliás, esse poema não se refere a ninguém em especial...rs...Bjs

Simone Aver disse...

Aff... desculpe... essa gargula aí de cima sou eu...kkkkkkk....acabei postando com a outra conta...kkkkkk... bjs

filipe2143 disse...

Extrair sentido disso não é fácil, mas não deixa de ser um bom poema.