sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Culpa.

Tudo que restou está longe de alcance
de qualquer gesto..qualquer lance.
Mas a culpa será minha? Só minha.
E a vida? Segue por aí afora.
Pergunto ao vento, porque tanta demora?
E isso era tudo que eu tinha
tudo que podia ou pude aprender
tudo que a vida me permitiu fazer
será a culpa? E é só minha?
Ou esse pouco que sou
é tudo que posso ser?

2 comentários:

Cynthia Lopes disse...

How many roads must a man walk down, before you call him a man? The answer, my friend, is blowin' in the wind, the answer is blowin' in the wind...

kisses

Sonhadora disse...

Meu querido Ricardo
A vida não se compadece, com o que queremos.
Gostei de passar aqui e ler-te.

beijinhos carinhosos
Sonhadora