sábado, 31 de julho de 2010

Sorriso.

Eu juro que sabia sorrir.
Lembro que o som de meu riso
se misturava às palavras do dia.

À noite num porto seguro
meu riso orientava os barcos
atraía os loucos
e os conduzia ao céu.

Eu lembro, não faz tanto tempo.
De tão espontâneo
surpreendia as visitas.

Meu riso sorria,
meu sorriso se ria,
numa última lembrança
sem medo...de mim.

2 comentários:

Cynthia Lopes disse...

Ricardo, dos poemas que li de ti, este com certeza é o mais bonito, o mais solto, o mais vivo. É aquele simplesmente lindo. bjs

Sonhadora disse...

Meu querido Ricardo
Um poema lindo, como compreendo as tuas palavras, talvez o sorriso volte novamente, talvez o tempo o traga de volta.
Obrigada pelo carinho das tuas palavras no meu cantinho, nem calculas como gosto de te ver lá.

Beijinhos
Rosa