sábado, 9 de outubro de 2010

A estranha

Caminhava

como se não quisesse chegar
a lugar nenhum.
Cada pedacinho
de chão representava
uma grande marcha.
A vida é mesmo assim...estranha.
Ninguém se importa
todos pensam diferente
alguns nem pensam.
Mas a vida anda
e não espera por ela.
Continua a caminhada
passo a passo sem olhar
para lado algum.
A vida é insana mesmo
ninguém pede licença
não pedem desculpa
e não dizem
muito obrigado.
Só ela faz tudo isso
e mesmo assim
ninguém se importa
ninguém ouve
não sabem que ela
ainda está viva
ou...ela não
sabe?
Estranha...

2 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido
Muito verdadeiro o teu poema,só as almas sensíveis olham para quem passa ao lado.

Só ela faz tudo isso
e mesmo assim
ninguém se importa
ninguém ouve
não sabem que ela
ainda está viva
ou...ela não
sabe?
Estranha...

Deixo-te o meu carinho e um beijinho.

Sonhadora

Cynthia Lopes disse...

Estranha, muito estranha!
bjuss