quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Tardio

Não.....eu não sei quem escreve essas palavras.
Não conheço
estes olhos de fundo avermelhados
essas marcas profundas de um estranho sofrer.
Não sei de onde vem
este buscar insano
essa agonia constante num esperar ímprobo,
pois essa esperança...
nasceu morta.

É tarde.

Um comentário:

Sonhadora disse...

Meu querido
Junto o meu silêncio à dor do teu poema...mas agora digo-te eu.
Nunca é tarde.
Obrigada pelo imenso carinho que me dás...adoro-te meu querido amigo.

Beijinhos com carinho
Sonhadora