segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Eu pássaro.


Não me culpes por teus enganos
te queria ainda......creias
mas sem o brandir das armas torpes
Não te quero mais,
sou somente outro foragido
e nada poderia dar-te que não os
grilhões de um sonho insone....
Se tenho ainda minhas alas
é por não querer voar tão longe..

Fica aí...onde tens um sonho
ainda que pequeno
mesmo que esquecido
deixado à deriva
de um amanhecer  estranho.....!

Deixa-me aqui
com meu voar distante
minha pesada carga
de culpas
que  carrego desde sempre.....

Só não me culpes por teus pesadelos
por tuas asas corrompidas
por teu desespero
deixa-me em meu ninho
onde posso ser eu pássaro
entre os precipícios de minha alma
em meu voar sozinho...

3 comentários:

Elaine Vasconcellos disse...

este poema tocou minha alma...tanta emocao e beleza profundos..es muito talentoso Ricardo, parabens..

Ricardo Kersting disse...

Muito obrigado por tuas palavras Elaine...Obrigado por tua visita..
Um beijo..

Mª Dolores Marques disse...

Ricardo, o isolamento é muitas das vezes um caminho para sarar nossas mágoas e quase sempre nos abrem novos caminhos.

Adorei este poema, e tanto que se pode reter dele.

beijinhos