segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Caminho...

Ando num caminho sem margens
sem razão nenhuma para andar,
mas com uma necessidade imensa, urgente de seguir.
Cansado das tentativas vãs de entender as pessoas,
decifrar enigmas e depois fugir das esfinges.
Um caminhante a mais na multidão ofegante,
mas de tanto saber andar angariei seguidores, mesmo
sem saber qual é o meu destino.
Não adianta pensar no passado imutável, nem no futuro
que ainda não existe.
Tento pensar no presente que já passou, na esperança
de ainda poder mudá-lo.....tolo que sou.
Nem este andar depende de minhas forças e o caminho
também é imutável, nada que eu faça poderá mudar
seu início, meio e fim...

3 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido Ricardo

Ler-te é uma viagem alucinante entre esperas e ausências...trilhos inquietos que atravessam o tempo...palavras que sobrevivem à morte dos espinhos que atravessam a carne...talvez a última morada da memória soletrando o silêncio da alma...prendendo na mão a eternidade de um instante.
Foi o que senti...

Deixo um beijinho carinhoso
Sonhadora

Holyriver disse...

Il tuo blog mi e' piaciuto molto.
Tornerò a trovarti presto.
Ciao.

MilaMarx disse...

Muito bom Ricardo...bjos!