sexta-feira, 18 de março de 2011

"E"

E se de repente eu ousasse
e voasse dentre os abismos negros das
distâncias
e navegasse dentre as vagas explosivas da
poesia
e aceitasse o desafio dessa entrega que tanto clamas
e me jogasse entre as chamas ardentes dessa paixão
urgente
e te fizesse me amar como em nenhum tempo ou sonho
sonhaste?

3 comentários:

Sonhadora disse...

Ricardo

Sabes que deve haver amigos "gêmeos", com o oceano pelo meio...deixo-te aqui um bocado do que vou publicar hoje no meu blogue...quando cheguei como da outra vez fiquei admirada.

Beijinho com carinho
Sonhadora

«««««««««««««««««««««««««

E de repente...há tanto silêncio meu amor...como um grito mudo...sepultando o último gemido...a última letra dum poema...o ultimo nome...o derradeiro verso...a última rosa a morrer.
E de repente...há tanto vazio nos meus passos...tanta rua escura...tanto labirinto sem saída...tantos gritos sem voz...tanta tempestade sem bonanza...tantos fantasmas na noite...tantas noites nos dias...tantos sonhos morrendo no meu peito...e de repente...eu morrendo...neste vôo para além do sonho...neste vazio para além dos braços...perto do nada e para além do tudo

««««««««««««

Ricardo Kersting disse...

Sonhadora.
O mundo está cada vez menor e as ideias se transformando em componentes universais de um só pensamento.
Parece que é comum duas pessoas terem a mesma ideia mesmo distantes um da outra.
Mas de qualquer forma, fico muito feliz por ser teu companheiro nas palavras, porém devo reconhecer que a tua ideia é bem mais completa que a minha..
Um grande beijo..

Pedro Sousa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.