segunda-feira, 8 de junho de 2009

Reencontro marcado

Às vezes, de vez em quando temos que parar. Um pouco, um minuto.
Procurar algo naquele cantinho esquecido, escuro talvez. Pode ser que tenhamos deixado alguma pista, um bilhete relatando direções. Não custa tentar. Nada se move eternamente, como o próprio universo, um dia irá parar. Um segundo perdido, se recuperado, pode resolver a questão entre "ser ou não ser".

Temos que rever algumas coisas, lamber algumas feridas, dar atenção e carinho a quem bem nos afeta. Reprogramar alguns caminhos, corrigir rotas e repensar nossas atitudes.

Vou viajar na longa e desconhecida distância até o fundo de meu quintal. Repetirei esse caminho tantas vezes trilhados por meu pai.

Penso que só assim me encontrarei.

2 comentários:

Cynthia Lopes disse...

Espero, sinceramente que sim, embora acredite que cada um deva fazer seu próprio caminho, em seu próprio quintal. Um grande abraço, meu querido amigo, saudades...

Efigênia Coutinho disse...

Gostei do que li aqui, serei uma seguidora, meus cumprimentos, primoroso evento literário,
Efigênia Coutinho

FELIZ DIA DOS NAMORADOS